Linda Martins, 18, Salvador. Livros (os que leio e os que escrevo), cristianismo, estudos aleatórios e comida definem minha vida. Em constante evolução.

ENTREVISTA
Rudson Xaulin

RESENHA
Um beijo inesquecível

AUTORAIS
Baed

12.9.13

[RESENHA] O Projeto Rosie

Perto de completar 40 anos, o peculiar professor de genética Don Tillman havia desistido do amor. Para acompanhar sua rotina severamente cronometrada, com esquema de refeições padronizadas, um cronograma para a execução de cada compromisso (inclusive para a prática de exercícios antes de dormir) e lidar com sua falta de habilidade social, só mesmo a mulher perfeita. E ele já sabe como encontrá-la. Ou pelo menos acha que sabe. Ele desenvolve o projeto Esposa Perfeita, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a selecionar candidatas adequadas a seu estilo de vida. Mas quando Don conhece a jovem Rosie ele descobre que nem tudo na vida pode ser programado... e que o amor pode, de repente, vir a seu encontro.

Eu já tinha lido várias resenhas sobre O Projeto Rosie e todas elas falavam super bem do livro, o que significa que eu o peguei para ler cheia de expectativas e super empolgada. No entanto, no começo da estória fiquei um pouco desanimada com o fato de eu achar inicialmente o Don extremamente irritante. O Don Tillman, na verdade, é um daqueles personagens que no decorrer do livro, desperta emoções completamente diferentes em você. Pelo menos, no meu caso foi assim.

Como a sinopse acima diz, Don Tillman era um professor de genética que tinha sua vida rigorosamente cronometrada e todas as suas convicções se baseavam na ciência. A sua extrema e compulsiva organização chega a ser irritante e há momentos que você vai falar "CARA, VOCÊ É LOUCO!" e não serão poucos. Por estar tão acostumado a sua vida sem imprevistos em que todas as decisões são baseadas na razão, Don tem problemas para se relacionar. Com 40 anos, ele se cansa de sua vida solitária e decide arrumar uma esposa. O problema, é que ele vai criar um questionário no mínimo absurdo para encontrar o que ele chama de "A mulher perfeita".

Teimando em achar que seu "Projeto Esposa" vai dar certo, seu melhor amigo (e único também) Gene coloca em sua vida a jovem Rosie e então Don ver a sua rotina e vida milimetricamente organizada indo por água abaixo. Fumante, desorganizada e incapaz de chegar num encontro no horário certo, Don tem a certeza de que essa é a candidata mais inapropriada para começar um relacionamento. Seu primeiro encontro cheio de maus entendidos e imprevistos, faz com que ele planeje jamais ver Rosie novamente. Mas acontece que ele fica sabendo que a moça não tem um pai e ele está disposto a montar o "Projeto Pai", coisa que vai uni-los durante toda a estória.

"Aqui vai uma coisinha para você pensar. Qualquer mulher que faça esse teste se sente feliz em ser tratada como um objeto. Você pode até dizer que é escolha delas, mas, se você gastar dois minutos para observar como a sociedade obriga as mulheres a pensar em si mesmas como objetos, talvez tenha uma ideia diferente."
É ótimo ver como Don vai mudando e percebendo seu amor por Rosie. Ele tenta negar e confrontar isso com a razão, mas não consegue. O livro é narrado em primeira pessoa pela visão do Don, e é aqui que vai toda a coisa das emoções diferentes. Num certo ponto do livro você pode sentir um pouco de raiva por ele ser tão irritantemente organizado. Em outros você vai rir, por causa de suas tentativas de se relacionar com as pessoas e pelo fato dele ser muito, mas muito direto. Você também pode achá-lo amável por tentar mudar pela Rosie. Enfim, O Projeto Rosie não está na minha lista de favoritos, e para falar a verdade, não gostei tanto assim como eu pensei que fosse gostar. Não estou dizendo que o livro é ruim, muito pelo contrário, é uma estória muito divertida e leve. Sem contar que eu amei a edição e capa do livro, super fofinho!