Linda Martins, 18, Salvador. Livros (os que leio e os que escrevo), cristianismo, estudos aleatórios e comida definem minha vida. Em constante evolução.

ENTREVISTA
Rudson Xaulin

RESENHA
Um beijo inesquecível

AUTORAIS
Baed

22.8.13

[RESENHA] A Rosa do Inverno

E aí galera, tudo bem?
Hoje eu trago mais uma resenha pra vocês. O livro que falarei hoje é o lindo romance de Patricia Cabot, "A Rosa do Inverno".

"Uma liberal! Deus o livre das mulheres com excesso de instrução! O que tinha aquele vigário na cabeça ao deixar a filha ler jornais? Ela não deveria nem saber a diferença entre liberais e conservadores. Não era de surpreender que fosse uma solteirona e estivesse condenada a continuar assim, se o que ela havia despejado nos ouvidos de Herbert era um exemplo da sua técnica de conversação."
Pelo quote já se percebe que trata-se de uma estória que se passa numa época antiga. Mais especificamente, o romance se passa na Inglaterra, em 1860. Tempo em que havia toda aquela coisa de "política é para os homens" e outros pensamentos machistas.   A nossa querida protagonista, Pegeen MacDougal, era uma mulher além de seu tempo. Não só se interessava por política, como era uma feminista fervorosa, o que causa espanto no sedutor Edward Rawlings. Este, membro da aristocracia e acostumado a conseguir tudo o que quer, acaba facilmente caindo nos encantos de Pegeen.
Com a certeza de que Pegeen não passava de uma velha solteirona, Edward vai para a Escócia buscar o sobrinho, herdeiro do ducado de Rawlings, apenas para não assumir e se livrar das responsabilidades de um duque. O que ele jamais imaginava, era que encontraria uma jovem, bonita e acima de tudo, de personalidade muito, mas MUITO forte.
Apesar de ser uma estória de época, os termos usados são simples e a leitura flui rapidamente. Pegeen, que era uma mulher liberal e contra o casamento, se choca no fato das pessoas serem tão devassas na sociedade. Em um certo ponto do livro, ela se escandaliza com as traições e toda a libertinagem que envolve o Solar Rawlings.
Eu devo confessar que eu ri várias vezes durante a leitura, por que as briguinhas e provocações deles dois no decorrer da estória é realmente engraçado. Edward fica muitas vezes contrariado com a altivez de Pegeen, que dava broncas nele abertamente. Há toda a tensão sexual em volta deles e você vai ficar roendo as unhas para saber o desfecho dessa estória. O romance é narrado em terceira pessoa e foca mais o ponto de vista de Pegeen. A capa não tinha me entusiasmado muito, mas depois de ler algumas resenhas e o quote que deixei acima, o interesse em ler veio à tona. Pra quem gosta de um bom romance e com aquele toque de "briga de cão e gato", esse é um livro perfeito para você.